O financiamento coletivo (crowdfunding) é uma das formas mais modernas de captação de recursos para tirar grandes projetos do papel, com mais flexibilidade do que as maneiras tradicionais de financiamento. Em outras palavras, o crowdfunding nada mais é do que uma evolução da famosa “vaquinha”. Porém, agora, ela é potencializada por plataformas online. O objetivo é mirar os ganhos coletivos e retornos positivos para a sociedade, indo além dos lucros dos próprios investidores.

Neste post, a construtora e incorporadora RL Costa e a fintech Vangardi Investimentos te explicam, tim-tim por tim-tim, o que é, quais as características e os benefícios do financiamento coletivo.

O que é o financiamento coletivo

Uma das maiores tendências na Economia Real, o investimento coletivo chama a atenção de quem aloca recursos pensando no longo prazo. Como uma modalidade destinada a empreendedores que buscam capital para a realização de projetos, a ideia principal do crowdfunding é ligar empreendedores e investidores por meio de uma plataforma colaborativa.

O termo começou a ser utilizado no ramo de investimentos recentemente, por volta de 2006, ampliando o conceito de vaquinha. Ambos partem do financiamento de algo a partir da colaboração de um (pequeno ou grande) grupo de pessoas que investem recursos financeiros. Porém, enquanto na vaquinha os participantes geralmente focam em arrecadar dinheiro para algum objeto (ou realização de sonho de um amigo, por exemplo), no crowdfunding os projetos extrapolam esse conceito. Isso porque o retorno não é só para um grupo específico, mas para a sociedade, como começar uma empresa, construir empreendimentos, financiar uma obra de arte ou, até mesmo, um museu inteiro.

O objetivo do crowdfunding é desburocratizar investimentos para pessoas que não são habituadas ao mercado financeiro tradicional. Dessa forma, a meta é dar acessibilidade a investimentos específicos da Economia Real. Entre as vantagens do investimento coletivo, temos o alto retorno e a possibilidade de investir com pouco capital em empresas sólidas do mercado. Assim, o crowdfunding é perfeito para pequenos, médios e grandes investidores, tornando-se uma alternativa de produção e consumo mais colaborativa, participativa e poderosa (afinal, a união faz a força!). Na Vangardi, por exemplo, é possível alocar recursos a partir de R$1 mil em oportunidades com alto retorno.

Como fazer um investimento coletivo

– Antes de mais nada, informe-se. A orientação de especialistas em mercado é clara: nunca faça nenhum investimento sem pesquisar sobre ele em sites, jornais, revistas e demais fontes confiáveis.

– Analise também o mercado: a tendência é de queda? De crescimento? O retorno é previsto em curto, longo ou médio prazo?

– Reflita sobre seu perfil de investidor. Você é mais conservador ou arrojado? Está disposto a correr riscos?

– Avalie se as empresas e investidores envolvidos são idôneos, transparentes e corretos. Uma dica é observar se eles disponibilizam, por exemplo, relatórios frequentes de acompanhamento.

Depois de toda essa análise, caso tenha certeza de que o financiamento coletivo vai contribuir para a viabilização do seu projeto de forma segura, é hora do “mãos à obra”!

Em plataformas como a da Vangardi, na primeira etapa é feita uma investigação criteriosa do projeto. É considerado todo o histórico financeiro, jurídico e técnico da empresa e dos sócios. Depois, é feito o cadastro na plataforma, onde são disponibilizadas todas informações e documentos mais relevantes da oportunidade. Por lá, é possível definir prazos, acompanhar o desenvolvimento do projeto com relatórios trimestrais e, até a data de vencimento acordada, o dinheiro estará disponível na conta cadastrada.

Se a meta de um projeto (valor mínimo pedido) não for arrecadada no tempo estipulado, o dinheiro volta para as pessoas que contribuíram.

Financiamento coletivo na prática

Um exemplo bem-sucedido dessa modalidade foi o financiamento coletivo do edifício Lúcio Soares da construtora RL Costa, condomínio do bairro Santo Antônio, em Belo Horizonte. O crowdfunding foi feito em parceria com a plataforma da Vangardi e, em menos de 3 horas, foram captados R$ 824 mil para viabilização do projeto.

Edifício Lúcio Soares

Recentemente, a construtora optou por quitar o pagamento para seus investidores antecipadamente. O retorno foi feito em maio de 2022, um mês antes do vencimento da aplicação de 18 meses.  O rendimento do empreendimento foi de 12% ao ano, mas para quem optou pela modalidade bullet, em que recebe o valor do seu investimento com o rendimento ao final do prazo, seu capital rendeu 17,42% bruto em 17 meses.

O edifício Lúcio Soares é um dos empreendimentos mais modernos da região Centro-Sul de BH, aliando tecnologia, segurança e design. São dez apartamentos localizados a poucos passos da avenida Prudente de Morais, com infraestrutura para automação residencial, persianas com controle remoto e fechadura digital integrada. Em prol da sustentabilidade ambiental e gentileza urbana, o prédio foi projetado para receber aquecedor solar nos chuveiros, iluminação inteligente em LED, captação de água pluvial para irrigação dos jardins e mediação individual de água e gás – para cada morador acompanhar seu consumo com consciência e responsabilidade.

Ambiente conectado, moderno e inteligente é a marca do empreendimento

Financiamento com colaboração e sem mistério

Resumindo, o crowdfunding é uma ótima opção de investimento para quem precisa de soluções modernas e arrojadas para viabilizar grandes projetos. Não deixe de nos consultar caso tenha alguma dúvida sobre essa modalidade, ou precise de qualquer informação sobre investimentos em imóveis! Nosso contato direto é o atendimento@rlcosta.com.